sexta-feira, março 31, 2006

Protesto contra a GALP

O PortugalGay.PT denunciou hoje (http://portugalgay.pt/news/index.asp?uid=310306A) em comunicado a homofobia da nova campanha publicitária da GALP Energia a propósito do campeonato mundial de futebol 2006. Cantado por Demo e Júnior, com música de Manuel Faria e Nuno Tempero e letra de Pedro Bidarra, Nuno Jerónimo e Marco Pacheco, o hino serve de tema a um anúncio de televisão que inclui Ricardo Quaresma, Cristiano Ronaldo e Hélder Postiga.

A letra homofóbica do tema pode ser verificada no próprio site da Galp em
http://www.galpenergia.com/Futebol+Positivo/Fun+Zone/CampanhaPubMun2006.htm, onde o termo "paneleiro" foi estrategicamente substituído por reticências, o que não apaga a letra original da música nem deixa dúvidas sobre a palavra que lá estaria:

"É o retrato de um país aplicado ao futebol.
Tem tudo o que é preciso, só perde por ser mole.
Toca a acordar, pessoal!
Queremos mais garra,deixar de ficar felizes quando a bola vai à barra.
Vamos com tudo, meter o pé, chutar primeiro,
Que o último a chegar é paneleiro.
Ter medo deles? Isso era dantes!Vamos embora encher de orgulho os emigrantes.
Sem esquecer que nas grandes emoções
quando grita um português, gritam logo 15 milhões".

A rede ex-aequo sugeriu a seguinte carta de protesto:
"Exmos. Senhores,
Acabei de tomar conhecimento da nova versão do hino da Galp Energia para o Mundial 2006. Qual o meu espanto ao tomar conhecimento de uma das suas rimas que diz "que o último a chegar é paneleiro". Fiquei não só desiludida/o com a política da vossa empresa como desagradada/0.

A GALP que nos últimos tempos se tem mostrado uma empresa dinamizadora e com uma nova cara, ficou aquém, para mim e muitos outros portugueses, de satisfazer cada vez mais as minhas necessidades enquanto consumidor/a. A vossa qualidade peca por fomentar sentimentos de homofobia numa país cuja Constituição proíbe no seu artigo 13º a discriminação com base na orientação sexual.Gostava, igualmente, de vos informar que circulam pela internet vários emails bem como comunicados de imprensa sobre o tema exposto no parágrafo anterior. É lamentável, nos dias de hoje, verificar que ainda existem empresas que investem na exclusão social.
Não só lamentável como mau para a empresa, pois estou certo/a que muitos consumidores passarão a lembrar-se da rima da nova versão do hino cada vez que se cruzarem com o novo logo da Galp.
Por não ter alternativa ao gás natural, passarei a usar apenas parcialmente os vossos serviços. Sempre que me seja possível optarei por outra empresa mais "gay friendly" ou simplesmente com uma política de inclusão, porque um consumidor será sempre um consumidor e quando agradado o seu retorno é garantido.
Com os melhores cumprimentos,"


Envia o teu email de protesto para a GALP e para a Federação Potuguesa de Futebol:
galp@galpenergia.com
info@fpf.pt
Observatório Homofobia/Transfobia na Saúde @ Médicos Pela Escolha
DIVULGAÇÃO