terça-feira, junho 02, 2009

Técnicos de Saúde Mental questionam Ordem dos Médicos sobre "terapias de reconversão da orientação sexual"

PRESS RELEASE 2 Junho 2009

Aos Órgãos de Comunicação Social
Ao Bastonário da Ordem dos Médicos

CENTENAS DE TÉCNICOS DE SAÚDE PEDEM CLARIFICAÇÃO DA POSIÇÃO DE RESPONSÁVEIS DA ORDEM DOS MÉDICOS SOBRE "RECONVERSÃO DA ORIENTAÇÃO SEXUAL"

São já várias centenas os técnicos de Saúde Mental, bem como de outras áreas da Medicina, que tomaram a iniciativa de subscrever a petição que solicita ao Bastonário da Ordem dos Médicos uma "clarificação urgente" das posições publicamente assumidas quer por este, quer pelo responsável do Colégio de Psiquiatria da Ordem sobre "terapias de reconversão da orientação sexual", manifestando simultaneamente a sua "profunda discordância" com estas posições "incorrectas" e que estão ao arrepio da posição internacionalmente reconhecida da Associação Americana de Psiquiatria, que data de 1973.

Os signatários solicitam igualmente a organização de um debate sobre a temática pela Ordem dos Médicos, bem como "uma tomada de posição do Colégio da Especialidade de Psiquiatria, após um debate entre os seus membros." Consideram ainda que "o sofrimento psicológico de muitas pessoas LGBT" não resulta "dos seus comportamentos, afectos ou identidades, antes é determinado por um contexto social marcado pela homofobia que se revela discriminatório."

Entre os subscritores da petição, encontram-se profissionais conhecidos da Psicologia e Psiquiatria como Júlio Machado Vaz, Caldas de Almeida, Daniel Sampaio, Francisco Allen Gomes, Isabel Leal , Gabriela Moita, José Gameiro, Margarida Gaspar de Matos, Nuno Nodin, Nuno Pacheco, Isabel Empis, Isabel Meneses, José Carvalho Teixeira, João Pais Ribeiro, Daniel Seabra, Manuel Guerreiro, Nazaré Santos, Ana Matos Pires ou Marta Crawford.

Neste sentido, defendem "que esse sofrimento resulta da interiorização de mensagens sociais negativas e que cabe aos técnicos de Saúde Mental reduzir a dissonância entre o peso destas mensagens interiorizadas e os sentimentos dessas pessoas, favorecendo a auto-aceitação, afirmação e validação da sua orientação sexual e da sua identidade sexual."

A petição, dirigida a técnicos de Saúde Mental - e que continua aberta à subscrição no endereço http://www.peticao.com.pt/reconversao-da-orientacao-sexual - já foi, apesar desse âmbito, subscrita e comentada por centenas de cidadãos que não quiseram deixar de demonstrar a sua solidariedade com esta tomada de posição. A totalidade das assinaturas até ao momento e o texto completo da petição podem ser consultados no mesmo endereço.

----
ALGUNS COMENTÁRIOS QUE ACOMPANHAM AS SUBSCRIÇÕES:

"É importante que o Colégio de Psiquiatria da OM reuna e debata estas posições incorrecta"
Daniel Sampaio, Psiquiatra, Professor Catedrático

"Parece-me urgente que o assunto seja discutido com seriedade, sem preconceitos e tendo por base os actuais conhecimentos, científicos e não só, num fórum alargado que, no caso particular dos psiquiatras, gostaria de ver promovido pelo colégio da especialidade."
Ana Matos Pires, Psiquiatra

"Exijo,debate urgente na Ordem dos Médicos, e Colégio de Psiquiatria da O.M. sobre tema em epígrafe.Muitos médcos e psiquiatras não se revêem nas posições acientíficas dos seus representantes, posições baseadas em crenças e valores não consentâneos com as sociedades contemporâneas, nem com a Declaração dos Direitos Humanos."
Maria Manuela Soares Correia, Psiquiatra

"As evidências actuais não suportam de maneira alguma a opinião destes dois médicos psiquiatras de elevada reputação. Os psiquiatras não se reveêm nesta posição desde a década de 70 do século passado."
Diogo Telles Correia, Psiquiatra

"Declarações como as proferidas pelos técnicos de saúde mental em referencia, deveriam ser imediatamente seguidas de esclarecimento público por parte da Ordem dos Médicos. O seu silêncio é conivente e irresponsável"
Ana Filgueiras, ex-Membro designado pela Organização Mundial de Saúde com mandato de 3 anos no Global Programme on AIDS.

"Parece me essencial que a Associação Americana de Psiquiatria e a Associação Europeia de Psiquiatria, tenham conhecimento destas afirmações HEDIONDAS do presidente do colégio da especialidade de psiquiatria!"
João Monteiro, Psiquiatra

"A homossexualidade enquanto vivência psíquica, emocional e comportamental é totalmente viável. A homossexualidade é uma variante normal das múltiplas expressões da sexualidade; a obrigação do terapeuta é ajudar a que essa variante seja plenamente sentida e vivenciada sem patologizar o que não é patológico."
Jorge Manuel Andrez Malveiro, Psicólogo Clínico, Gestor do Gabinete de Psicologia e Apoio psicopedagógico da Universidade do Algarve

"A psiquiatria portuguesa e a Ordem dos Médicos devem demarcar-se claramente de posições que são totalmente inaceitáveis do ponto de vista científico e dos valores fundamentais. É urgente um debate sobre esta questão."
José Miguel Caldas de Almeida, Psiquiatra, Professor Catedrático

"Humildade científica é uma característica essencial ao exercício profissional"
João Taborda, Psicólogo, Mestre em Sexologia.

"Trata-se de um regresso a um passado que não dignificas as "terapias" em causa."
Francisco Allen Gomes, Psiquiatra e Sexólogo

"A incorrecção das posições assumidas são altamente preocupantes sobretudo porque emanadas de pessoas de quem se espera que estejam bem informadas e isentas de preconceitos."
Manuela Machado, Psicóloga e Professora Universitária

"Finalmente o debate que estava por fazer!"
Gabriela Moita, Psicóloga
Observatório Homofobia/Transfobia na Saúde @ Médicos Pela Escolha
DIVULGAÇÃO